sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

VEJA COMO O GOVERNO QUER "ENGANAR" O CUMPRIMENTO DA LEI DO PISO.


A orientação do governo sobre o cumprimento da jornada dos professores, engana os professores e a sociedade, veja porque:

Um/a professor/a de 40 horas semanais que atua nos anos finais do ensino fundamental e ensino médio, de acordo com o Plano de Carreira aprovado em 1986, é cumprida da seguinte forma semanalmente: 32 horas aula independente de sua duração e 8 horas atividade para cumprimento de 20% da hora atividade, tempo dedicado a preparação de aulas, de atendimento ao aluno, de atendimento aos pais e de estudos. Agora que conquistamos o aumento do tempo de hora atividade para 1/3 da jornada o governo 'diz" que cumpre a lei.

Vamos como era antes do Piso: 32 aulas de 45 minutos = 24 horas com aluno mais 8 horas de atividade totalizando 32 horas na escola. Com o aumento da hora atividade para 1/3 e seguindo o estatuto do magistério de SC que não foi alterado, a jornada deve ser cumprida da seguinte forma: 26 aulas e 16 horas atividade, incluindo na hora atividade a formação continuada dos professores.

Quando o Governo orienta por instrução normativa que os/as professores/as continuem com 32 aulas semanais, 8 horas atividade na escola e um dia por semana para formação continuada, isso significa que os professores vão ficar 40 horas semanais a disposição da escola e não mais 32 horas semanais.

Bem, tambem vem sendo praticado desde 1986 que quem fica 40 horas a disposição na escola tem a gratificação da regência de classe diferenciada, ou seja, 40%, como é o caso dos professores atuam nos anos iniciais enquanto que os demais tem 25%. Se o governo quer os professores que atuam nos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio fiquem 40 horas semanais a disposição da escola precisa equiparar a gratificação da regência de classe.

Os cálculos:
32 aulas de 45 minutos = 24 horas em sala de aula e 8 horas atividade (20% da jornada) totaliza 32 horas na escola.
26 aulas de 45 minutos = 19,5 horas em sala de aula mais 16 horas atividades (1/3 da jornada) totaliza 35,5 horas na escola.

Vamos reagir a este absurdo, a lei do Piso foi aprovada para Melhorar a Qualidade da Educação e não para massacrar mais os/as professores/as

3 comentários:

  1. Ola querida Marta, estou bem desanimado, voltamos a escola e só estamos sendo cobrados alem de estarmos sem o valor do piso atualizado, ainda vem a determinação do cumprimento de 40horas relógio para quem tem quarenta aulas, pois temos temos que estar 10 períodos na escola, já não sei porque existem as leis( lei do piso e LDB)

    ResponderExcluir
  2. Olá Marta,diante dos desmandos desse governo não está faltando mais nada mesmo.Pra ele educação não é e nem será prioridade. Ele continuará tripudiando da classe de professores. Agora essa do cumprimento da hora-atividade é mais absurdo que nunca. Devo confessar que depois de trinta anos de serviço público nunca havia sentido tanto desânimo. Em pensar que 62 dias de GREVE pra ele não valeu nada. Só quem perdeu foram os professores e os alunos.Ainda quer se reeleger ... Tomara que o SINTE envolva toda a classe pra buscarmos o cumprimento da Lei do Piso. Abraços cordiais

    ResponderExcluir
  3. Marta, delete se entrar em duplicara, mas a primeira tentativa resultou em aviso de erro, então vou tentar postar sem o perfil wordpres...

    O mesmo problema acontece no RS, pois até a aprovação do piso nacional que nem mesmo é pago no RS e da hora atividade, os professores de área somam cada período como uma hora-aula. Cinco períodos de 50 minutos correspondiam a 5 horas-aula. Agora, a orientação é hora-relógio, mas permanecendo o mesmo valor. Assim, basta somar para comprovar que a exigência resulta em aumento nas horas trabalhadas.

    ResponderExcluir